Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Ensaio/ Teoria literária Home > Ensaio/ Teoria literária > Proust foi um neurocientista: como a arte antecipa a ciência
Proust foi um neurocientista: como a arte antecipa a ciência
Autor: Jonah Lehrer
Título Original: Proust was a neuroscientist
Tradutor: Fátima Santos
EAN: 9788576843122
Gênero: Ensaio/ Teoria literária
Páginas: 368
Formato: 14 x 21
Editora: Best Seller
Preço: R$ 84,90
   

No momento em que a tecnologia tornou-se tão indispensável à sociedade, é tentador acreditar que a ciência pode resolver todos os mistérios que permeiam nosso universo. Afinal, ela adquiriu papel fundamental na vida dos seres humanos ao proporcionar a cura de doenças ou ao realizar a proeza de enviar pessoas ao espaço. Mas, como argumenta Jonah Lehrer neste livro brilhante, a ciência não é o único caminho para o conhecimento. Na realidade, no que se refere à compreensão do cérebro, a arte chegou primeiro.

Reunindo um grupo de artistas – um pintor, um poeta, um chef, um compositor e alguns romancistas – Lehrer mostra como cada um descobriu uma verdade essencial sobre a mente que a ciência só agora está redescobrindo. Aprendemos, por exemplo, como Proust foi o primeiro a revelar a falibilidade da memória; como George Eliot descobriu a maleabilidade do cérebro; como o chef francês Escoffier identificou o umami (o quinto gosto); como Cézanne desenvolveu as sutilezas da visão; e como Gertrude Stein expôs a estrutura profunda da linguagem (meio século antes da obra de Noam Chomsky e outros lingüistas). Uma mistura engenhosa de biografia, crítica e escrita científica, Proust foi um neurocientista instiga a ciência e a arte a se ouvirem mais atentamente, pois mentes motivadas podem combinar o melhor de ambas para um resultado brilhante.

“Neste incrível livro, Lehrer relaciona as duas culturas com facilidade e graça. Sua escrita clara e empolgante - incisiva e reflexiva, e ainda, sensível e modesta – é muito prazerosa.”
Oliver Sacks
 
"Uma obra visionária e atraente que preenche a histórica lacuna entre as culturas literária e científica... Lehrer é inteligente e divertido."
The New York Times
 
“Uma leitura prazerosa e reflexiva”
Antonio Damásio

Jonah Lehrer

JONAH LEHRER estudou na Columbia University e na Oxford University, ...



A definição da arte
Umberto Eco
R$ 59,90

Como conversar com um fascista
Marcia Tiburi
R$ 49,90

Paisagem brasileira
Lya Luft
R$ 44,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais