Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Poesia Home > Poesia > O visível e o invisível
O visível e o invisível
Autor: Severino Antônio
EAN: 9788576860372
Gênero: Poesia
Páginas: 169
Formato: 14 x 21 cm
Editora: Verus Editora
Preço: R$ 52,90
   

"Severino Antônio é um homem raro. Ele diz como quem tira as palavras-água do claro-escuro de um poço fundo. Como quem demora em girar o eixo e trazer das entranhas da terra, onde vivem e florescem os pensamentos, um balde de substantivos, de advérbios, de verbos e de conjunções. Ele fala como se criar uma frase fosse como escrever um poema, como semear um jardim, como fundar os alicerces de uma casa. Quando estamos juntos e somos alguns amigos e conversamos, Severino primeiro só escuta. Ele fica ali, imóvel, os olhos atentos tanto quanto os ouvidos. É como se até cantos de passarinho soubesse decifrar. Quando já se pensa que é hora de não se dizer mais nada, então é quando ele fala. E ele é um dos melhores mestres que conheci em toda a minha vida na arte de criar um silêncio enorme quando fala. Se eu pudesse fazer um convite a vocês, leitor amigo, amiga leitora, seria este: que saibam ler Severino Antônio, como nós aprendemos, professores que somos e ainda seus alunos, a ouvi-lo." (Carlos Rodrigues Brandão) "O visível e o invisível" reúne três livros: "A redescoberta do sagrado", "O reencantamento do mundo" e "A matéria amada". São poemas filosóficos, lírico-reflexivos e, ao mesmo tempo, cotidianos e cósmicos. Escritos de modo constelar, contínuo-descontínuo, como se fossem poemas feitos de poemas. Uma poética de recriação de sentido. De religação. De reencantamento. Nestes tempos de homens partidos e natureza devastada, precisamos ainda mais da poesia – raiz da palavra, utopia da linguagem. Precisamos da palavra poética, que pode nos ajudar a humanizar a história. Esses são questionamentos permanentes dos poemas, que pertencem ao nascimento de uma nova escuta poética do universo e da vida humana, concebidos como teias de interações e interdependências, texto a ser interpretado, poema a ser escrito e reescrito, em uma nova estética-ética da irmandade de todas as coisas.

Severino Antônio
Em uma festa de Cosme e Damião, fui apresentado como "um irmão que se afastou de ...


O vento da noite (Edição bilíngue)
Emily Brontë
R$ 42,90

Estranherismo
Zack Magiezi
R$ 47,90

Todas as mulheres
Fabrício Carpinejar
R$ 14,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais