Gêneros
Administração
Artes
Astrologia
Biografia/ Memória
Chick Lit
Ciências
Ciências Políticas
Ciências Sociais
Cinema
Contos/ Crônicas
Culinária
Desenvolvimento pessoal
Desenvolvimento profissional
Economia
Educação
Ensaio/ Teoria literária
Entretenimento
Esoterismo
Espiritualidade
Filosofia
Geografia
Guerra
Guia
História
Infantil
Jovem Adulto
Juvenil
Literatura
Negócios
Obras de referência
Pensamento
Poesia
Policial
Política
Psicologia/ Psicanálise
Quadrinhos
Qualidade de vida
Relacionamento
Religião
Reportagem
Romance brasileiro
Romance estrangeiro
Romance histórico
Suspense
Teatro
Thriller
Viagem/ Aventura
Coleções
Autores
Tenha acesso a
conteúdos exclusivos.

leitor
livreiro
professor

Email:
Senha:
Lembrar senha
Reportagem Home > Reportagem > A Rive Gauche
A Rive Gauche
Autor: Manuel Puig
EAN: 9788503009621
Gênero: Reportagem
Páginas: 532
Formato: 14 x 21 cm
Editora: José Olympio
Preço: R$ 84,90
   

Quando Ernest Hemingway escreveu que Paris era uma festa estava se referindo, sobretudo, à Rive Gauche. A vizinhança minúscula entre o rio Sena e Montparnasse foi por muito tempo – nos anos 1930 e 40 – a capital intelectual do mundo. Foi lá, no reduzido espaço de varandas de cafés e de um punhado de livrarias, editoras e ateliês, que grande parte dos melhores escritores e intelectuais da época trabalhava, encontrava-se, concordava e discordava. De Londres a Nova York, de Moscou a Barcelona, tomava-se partido de Gide ou de Malraux, de Sartre ou de Koesler.
Em A RIVE GAUCHE, Herbert R. Lottman recupera a intensidade desse ambiente e recria os anos mais famosos desses arredores. Após uma extensa pesquisa histórica, com numerosos testemunhos, o autor propõe uma sociologia viva de um lugar onde se praticava o exercício do pensamento e a liberdade das idéias.
A Rive Gauche ganhou aura de polo irradiador de cultura engajada quando, em meados dos anos 1930, em plena depressão econômica que marcou o período entre guerras, os surrealistas começaram a frequentar o Deux Magots, o café que se tornou um dos pontos de convergência de artistas em Saint-Germain-des-Prés. Logo mais viriam os escritores, os poetas, os editores, os jornalistas – e a Rive Gauche se transformou na festa a que aludiu o romancista americano.
O universo recriado pelo autor vai muito além da Rive Gauche romântica, boêmia e vanguardista fixada para sempre na memória afetiva mesmo de quem nunca tenha flanado por suas ruelas estreitas. Longe de rótulos reducionistas, os personagens multifacetados ganham uma dimensão menos idealizada, mais humana.
A Paris sob ocupação nazista é o palco principal em que se opera esse redimensionamento. É lá, por exemplo, que a jovem Simone de Beauvoir flerta com a ideia de ter seu primeiro romance premiado por uma academia literária dominada pelos colaboracionistas. É lá também que um nazista francófilo, Gerhard Heller, se movimenta nas frestas do poder para defender membros da Resistência.
Como observa o jornalista e escritor Oscar Pilagallo, que assina a orelha do livro, “são contrapontos de uma história conhecida. E que demonstram que, à margem das narrativas edificantes, há sempre uma realidade mais complexa – e surpreendente”. 

Manuel Puig

Manuel Puig nasceu em General Villegas, província de ...



O delator: A história de J. Hawilla, o corruptor devorado pela corrupção no futebol
Allan de Abreu, Carlos Petrocilo
R$ 52,90

A tortura como arma de guerra
Leneide Duarte-Plon
R$ 59,90

Caçando Che
Mitch Weiss e Kevin Maurer
R$ 47,90


Autor Carlos Minuano participa do talk show 'The Noite com Danilo Gentili'
13/07/2018
Saiba mais

Jornalista inclui canal 'Alexandrismos' em sua lista de favoritos
Alexandra Gurgel é citada como 'influenciadora do bem' por jornalista
09/07/2018
Saiba mais

Novo livro de Fabricio Carpinejar entra para a lista de mais vendidos da Veja
04/06/2018
Saiba mais

Contos de Nei Lopes são tema de curso no Centro Afrocarioca de Cinema
Saiba mais